terça-feira, 22 de Abril de 2014

CONFRONTOS DA TAÇA DE PORTUGAL

TAÇA DE PORTUGAL - 2014

CONFRONTOS PARA A 3.ª ELIMINATÓRIA


E a “D. SORTE”, como referia sempre o nosso querido SETE DE ESPADAS, ditou para esta ronda os seguintes confrontos:


O Gato Preto – Carreto Marrão; Exterminador – Guarda, Det. Carraça – Cabo Branco; KG – Prof. Namora; Cuore Dolce – Insp. Vigarista; Amorini – Caramujo; Assavil – David Belga; A Luna – Orange; Det. Meco – Garcês; Luna Bala – M B Silva; Cárgula – Família Adams; Insp. Columbo – Garanho; Max Carrados – Comissário Tai Dong; Deco – Luís Estrela; Free Love – Lili; Erme Linda – Fatita; Esperança – Otolodoido; Det. Cortês – Mami; O Holmes – Det. Cuecas; Padre Brown – LCR; Andyflex – Insp.ª Boneca; Filósofo – António Alves; Move e Play – Nine Nine; Jo.com – AIM; Madonita – Aloff; Insp. Malufo – Rivera; Hust – Arquimedes; Percorroxo – Ag. Zapata; Mário Cuco – Comissário Tini; Free Live – Indygo; Det. Matraquilho – Ag. Alturas; Insp. Bacano – Azeleite;Luís Cobra – Pepe Rápido; Dual Post – Mirko Sauro; Det. Mokada – Insp. Zemelga; Lira Corrupta – Beltrano; Evolution – Insp. Azelha; Atu Xagal – Insp. Vampiro; Insp. Olé – Almadense; Correia – Jota Petrus; Det. Sorkos – Red Lib; Det. Irlandês – Milt.com; Insp. Albicastrense – Beto Organista; D. Quixote – Microlta; Rigor Mortis – Busina; Zappa – Ag. Doc; Paulo – A Selenix; Det. Manolo – Ego; Zé – Det. Juca; Vorsicht-25 – Helliotan; Daniel Falcão – António Ximenes; Bernie Leceiro – Rato Sega; Det. Wysel – Pretocolo; Det. Jeremias – Chico Londres; Mister H – Insp. Açafrão; Insp. Pató – Hamlet; Aple Atum – Karl Marques; Ag. Guima – Logopins; Hammer K – Sargento Estrela; Insp. Africano – Abrótea; Melo Tino – Insp. Gigas; Verbatim – Pedro Ká; Det. Lam – Avapa; Prof. Neca – A Raposo & Lena; Maria Saloia – Búfalos Associados; Dino Prata – Flo & Tânia; Oriel.com – A A Nogueira; Q – Det. Oceanário; Insp. Boavida – Moratti; Miss Nelly – Insp. Moscardo; Crock – Rip Kirby; Det. Manita – Ribeiro de Carvalho; Blue Party – Insp. Aranha; Batman – Insp. Sonntag; Larbac – Insp. Pi; Hino Mio – Azerum; Det. Raçudo – Dani Dias; Det. Jota Carica – Jack Boamassa; António Carlos – Desmond; Det. Punk – Ag. Colateral; Acosta – Dr. Lábia; Det. Micabo – Mandrake; Betina – Insp. Maka; Det. Bandoleiro – Vamp; Chico Zé – Eládio; Catarina II – Bacus; Loc Terry – Insp. Burc; Cortez – Nabo; Doll – Oracle; Copão – Amuru; Insp. Zé – Dr. Mostarda; Insp. Xibó – Carriço; Arilorac – Sam Spade; Dr. Jaguar – Det. Cola; Big Dog – Brasileiro; Det, Véritas – Dani; Chaimite – Ag. Jacto; Apitus – Chico Bento; Miss Ellis – Almec; Insp. Faruk – Futrica; Dr. Mosca – Miss Marple; André Pi – Copus; P Coruja – Horácio; Ag. Anel – Det. Pilantra; Bruno Capas – Croppus; Prof. Baril – ACSR; Da Ki – Det. Kirow; DC24 – Chalor; Carol – Ag. Diabólico; Bica – A Lontra; Faraó – Det. Zorga; Det. Jota – Kitty; Det. Cubano – Zé Ferry; Rao Kito – Insp. Felício; Insp. Sardinha – Grinkett; B Gates – Det. Marosca; Croquette – Dr. Fonseca; Azico – Norotó; Brocas – Berto; B Bragança – Anduócrime; Peter O – Azimute; Tara – Lego; Papari – L Figo; Della Street – Igor; Prof. Nelo – Det. Satã; Det. 2010 – Nina Lopes; Lira – Chiquita e Det. Popular – Army 715.

Para todos, desejamos boa sorte, que em Policiário quer dizer, muito trabalho e concentração!

CONFRONTOS PARA A 3.ª ELIMINATÓRIA

TAÇA DE PORTUGAL - 2014

Mais logo, ainda hoje, teremos AQUI os confrontos para mais uma eliminatória da Taça de Portugal.

Até mais logo!

domingo, 20 de Abril de 2014

RIP KIRBY DE REGRESSO A PORTUGAL!




A notícia chegou e não podemos deixar de a partilhar com todos os nossos confrades e "detectives".


Rip Kirby, depois de vários anos no Brasil, sem nunca se ter desligado do Policiário, está de regresso e pronto para recuperar o tempo perdido no que ao convívio diz respeito, como conviva de excelência, uma das suas mais marcantes facetas.
CONVÍVIO DO BARREIRO
2002.06.02






RIP KIRBY, seja muito bem-vindo!

POLICIÁRIO 1185

[Transcrição da secção n.º 1185 publicada hoje no jornal PÚBLICO] 

CASOS DE “PASSARINHOS” E DE NAMORO ESTÃO DECIFRADOS!

Mais dois problemas são hoje solucionados, dando aos nossos “detectives” os elementos para compararem as suas propostas de solução com as dos autores e fazerem as suas contas…
Num torneio de grande fôlego, como é o caso do Campeonato Nacional e com a qualidade de policiaristas que é amplamente reconhecida, torna-se imperioso que todos redobrem a atenção, para impedirem algum deslize inesperado. O Policiário não permite qualquer desleixo, porque pretendemos nos nossos problemas reproduzir a realidade, apresentando situações verosímeis e essa realidade não pode fazer com que uma pessoa possa ser injustamente condenada, por absoluta inépcia do investigador!

São muitos os exemplos de confrades que partem com ambições legítimas, considerados por todos como favoritos, que hipotecam todas as suas aspirações em problemas bastante simples, logo no início da competição, por falta de concentração, excesso de confiança ou pouca aplicação.
Uma chamada de atenção à solução da parte II, que traz uma situação recorrente nos nossos problemas, a confusão entre mentiroso e criminoso.
Os produtores deverão ter em consideração essa diferença e nunca pedirem a identificação de um criminoso com base numa mentira que este diga ou se venha a provar. Um mentiroso não é um criminoso, obrigatoriamente e compete ao produtor dos enigmas fazer essa diferenciação, chamando-lhe apenas suspeito ou referindo mesmo que “há um mentiroso que se torna suspeito…”
Ao invés, quando a prova é produzida e confirmada, quando é possível fazer uma acusação fundamentada, podemos chamar-lhe o responsável pelos actos!


CAMPEONATO NACIONAL E TAÇA DE PORTUGAL – 2014
SOLUÇÕES DA PROVA N.º 2

PARTE I
“HOJE HÁ PASSARINHOS…” de A.Raposo & Lena

Neste caso há que definir a geografia da cena e começar a dar o nome aos intérpretes, depois cavalgar-lhes as alcunhas, ler os dados e retirar conclusões.

Sabemos pela narração da história que há 6 actores e mais 2 que são os donos da tasca, a saber Elias e Fatucha.
Ao balcão e de costas para a mesa onde se joga a sueca, Tempicos e o Quim, este por alcunha “o marreco”, devido à escoliose, trincam passarinhos.

Tempicos – que estudava para inspector da Judiciária era também conhecido por “olho vivo”, devido ao seu “olhar perspicaz”, como o texto menciona.

Na jogatina estão os restantes quatro. Sabemos que o Zé (o anafado) foi a vítima da facada e é o “ peida-gadocha”.

O Tó estava a ver a rua – portanto estaria de costas para o balcão e era o “tacanho” que corresponde ao sinónimo de Pinguinhas.

O Manel é o parceiro do Zé. Os outros dois serão o Tozé e o Tó.

O Tozé estará de costas para a rua.

Á direita do Tó podem ficar os parceiros Zé ou Manel, para o caso é indiferente.

Elias tem a sua zona de acção entre o balcão a as pipas. Fatucha anda num “vai-vem” entre a cozinha onde frita os petiscos e os fregueses.

Quando o Zé vai aos lavabos, atravessa o estreito corredor entre pipas e fica fora do alcance visual dos actores, excepto da Fatucha, se ela se encontrar na cozinha, pois os dois locais ficam por perto.

Fatucha gostava e tinha encontro marcado com o Pelintra. O bilhete que Tempicos descobre no seu avental assim o parece indiciar e ela não o destruiu.

Supomos que o Zé deve ter desviado a sua rota ao sair dos lavabos e deve ter entrado na cozinha promovendo algum episódio para além do normal para a época. A faca afiada de cortar as iscas estava ali à beira e foi usada como forma de retribuição pelos afectos. O que ele fez à Fatucha ninguém sabe mas ela não gostou. O Zé “comeu” e não tugiu nem mugiu pois o pai da rapariga estava por ali perto ao balcão e se se queixasse as coisas só podiam piorar para ele.

Nenhum outro personagem poderia ter dado a facada e ele dado a si próprio era humanamente inviável.

Se consultar o Dicionário da Porto Editora (5ª edição) encontrará como sinónimos de Malacueco, espertalhão, de Pinguinhas, tacanho e de Pingarelho pelintra.
Com essa informação e a recolha de dados no problema facilmente pode alinhar todos os nomes e alcunhas dos seis da vida airada:

Tempicos – Olho vivo – Olhar perspicaz;
Tó – Pinguinhas – Tacanho;
Zé – Peida-Gadocha – Anafado;
Manel – Malacueco – Espertalhão;
Quim – Marreco – Escoliose;
Tózé – Pingarelho – Pelintra.

Tempicos, apesar de, na época, iniciado de detective, resolveu este caso do tempo em que havia o aroma das iscas, com elas, pelas tascas de Lisboa.
Hoje, com a crise, nem iscas, nem elas… nem tascas. 


PARTE II
“UM NAMORO COMPLICADO” de Povolez

Resposta: A) – Carlos.

Este problema revela uma situação que aparece muito no Policiário e que se resume à confusão entre aquele que mente e aquele que é o culpado de um crime ou responsável pelos factos.
Nem sempre o que parece óbvio o é!
Um dos conceitos que temos de apreender é mesmo o de que um mentiroso não é, obrigatoriamente, um criminoso, ou um culpado de tudo.
Neste caso, temos um mentiroso que nos diz que passou um dia inteiro na praia, feliz e contente, e depois revela uma palidez doentia. Conclusão óbvia e natural: o rapaz mentiu descaradamente e pode ter estado em todo o lado, excepto ao sol um dia inteiro, ainda para mais pela primeira vez no ano, o que o transformaria, certamente, num sósia de uma lagosta, falando de coloração, claro.
Mas esse facto não o torna mais suspeito de ter dado “à língua” e denunciado a situação à moça. Só o torna mais mentiroso.
Quem se denuncia claramente é Carlos, ao referir que nem sequer fora nesse domingo ao café, sem que o amigo ou alguém mais lhe tivesse dito que fora aí que a inconfidência foi cometida. Pura e simplesmente não podia saber o que não viu e o que ninguém lhe contou, como ele próprio refere.
Portanto, resposta certa: Carlos!


domingo, 13 de Abril de 2014

AS MELHORES E AS MAIS ORIGINAIS


CAMPEONATO NACIONAL - 2014

PROVA N.º 1

CLASSIFICAÇÃO DIC ROLAND (MELHORES)

1.º DETECTIVE JEREMIAS - 5 PONTOS
2.º DANIEL FALCÃO- 4 PONTOS
3.º ZÉ - 3 PONTOS
4.º INSPECTOR ARANHA - 2 PONTOS
5.º VORSICHT-25 - 1 PONTO

CLASSIFICAÇÃO MEDVET  (MAIS ORIGINAIS)

1.º INSPECTOR GIGAS - 5 PONTOS
2.º VORSICHT-25 - 4 PONTOS
3.º NÃO ATRIBUÍDO 
4.º NÃO ATRIBUÍDO
5.º NÃO ATRIBUÍDO

POLICIÁRIO 1184


[Transcrição da secção n.º 1184 publicada hoje no jornal PÚBLICO] 

UM CASO DE ALTA VELOCIDADE PARA DECIFRAR…


Encerramos hoje mais uma etapa das nossas competições desta época, com a publicação do problema de resposta múltipla que compõe a parte II da prova n.º 3.
Tratando-se de um desafio algo diferente do habitual, exige alguma atenção por parte dos nossos confrades e “detectives”, uma vez que a resposta não é fornecida de forma directa, antes se torna necessário analisar as circunstâncias em que ocorrem os factos e verificar o comportamento técnico das viaturas nas condições descritas.
Um pouco de procura de informação ou a reprodução de uma cena semelhante, ao vivo, poderão ser boas ajudas:


CAMPEONATO NACIONAL E TAÇA DE PORTUGAL – 2014
PROVA N.º 3 – PARTE II
 O “ALEMÃO” ACELERA – Original de “PREGO A FUNDO”


Desde há muito tempo que o Inspector Sarilhos mantinha com o “Alemão”, assim conhecido porque apenas conduzia viaturas dessa nacionalidade, uma relação de gato e rato. Não que o “Alemão” fosse um tipo complicado, difícil ou particularmente perigoso, nada disso, mas a sua sagacidade ia evitando que o Inspector o apanhasse em flagrante, apesar dos delitos que ia cometendo.
Mas um dia aconteceu, porque tinha de acontecer, mais cedo ou mais tarde.
Uma tarde, quase noite, com as luzes artificiais a iniciarem a sua aparição, o Inspector ia calmamente ao volante do seu automóvel, numa condução despreocupada, ouvindo uma das suas músicas preferidas, debitada pela voz rouca e inconfundível de Leonard Cohen, quando por ele passou um carro igual ao seu, conduzido de forma inacreditável, passando tangentes e rodando a grande velocidade.
Num relance, o Inspector vislumbrou o “Alemão” ao volante, sorridente – diria mesmo, desafiador! Roubara a viatura, certamente!
Rapidamente, o Inspector accionou o aviso sonoro e pôs-se na peugada do malandro.

Foram algumas curvas para cá, outras para lá, mas o malandro do “Alemão” não perdia um milímetro para o Inspector. Mais, dava-se ao luxo de assinalar para onde ia, accionando os piscas adequados, por provocação ou por hábito, vá-se lá saber!
Repentinamente, “Alemão” fez o pisca para a direita e cumpriu a ordem, religiosamente, fazendo a viatura deslizar para esse mesmo lado, mas em vez de seguir em frente, continuou a rodar, estacionando em espinha, ali mesmo. Era o sítio ideal porque havia perto vários carros semelhantes, pelo que, pensava, nunca seria encontrado! Rapidamente desligou totalmente a ignição. Lembrou-se de que tinha lido um problema policial em que o bandido era apanhado porque deixava o pé direito a pressionar o travão e por isso assinalava a sua presença com o acender dos “stops” e logo retirou os pés dos pedais, ao mesmo tempo que baixava a cabeça. Não ia ser apanhado!

Ficou siderado quando ouviu bater no vidro e, ao levantar a cabeça, viu a cara sorridente do Inspector Sarilhos, fazendo-lhe sinal para saltar para fora!...

Ajudem o “Alemão” a descobrir como é que o Inspector deu com ele tão rapidamente e sem hesitações…

A-  A viatura deixou um rasto fumegante no alcatrão e assim foi identificada;
B-  A viatura emitia um sinal sonoro, que a denunciava;
C-  A viatura emitia um sinal luminoso, que a identificava;
D-  A viatura estava estacionada num local proibido.


E pronto.
Resta aos nossos “detectives” reportarem-nos a alínea que entendem ser a correcta para resolver este problema, impreterivelmente até ao próximo dia 30 de Abril, para o que poderão usar um dos seguintes meios:

- Pelos Correios para Luís Pessoa, Estrada Militar, 23, 2125-109 MARINHAIS;
- Por e-mail para um dos endereços:
- Por entrega em mão ao orientador da secção, onde quer que o encontrem.
Boas deduções!



PONTUAÇÕES DA PROVA N.º 1

Estão já disponíveis as pontuações referentes às duas partes da prova n.º 1 do Campeonato Nacional e Taça de Portugal.
Tal como temos vindo a referir, todos os resultados são publicados no nosso blogue CRIME PÚBLICO, que pode ser acedido em http://blogs.publico.pt/policiario, no exacto momento em que ficam prontas as tabelas das pontuações obtidas por cada um dos nossos “detectives”.

Para que seja possível um acompanhamento mais pormenorizado de todas as vertentes competitivas, está à disposição dos nossos confrades o sítio CLUBE DE DETECTIVES, em http://clubededetectives.net , onde todos os resultados, maiores destaques e análises vão sendo efectuadas, para além de ampla informação sobre o dia-a-dia do nosso passatempo. A responsabilidade desse espaço é do confrade Daniel Falcão, um “detective” a quem o Policiário muito deve, que a partir da cidade de Braga vai acompanhando e divulgando toda a nossa actividade.

Recordamos que o Clube de Detectives tem em curso uma iniciativa pioneira, de edição de e-Books, dedicados aos problemas mais recentes publicados nesta nossa secção e que estão completamente acedíveis a partir do clube, bastando solicitar a respectiva senha de abertura.
Estes controlos dos acessos, que são inteiramente gratuitos, não têm qualquer outro objectivo que não seja o de saber quem são os detectives que acedem aos e-Books.
Portanto, todos os interessados, independentemente de serem concorrentes ou não aos nossos torneios e passatempos, poderão solicitar a senha que permitirá aceder aos e-books, usufruindo, assim, de muita informação útil, já que, para além da publicação dos problemas e respectivas soluções oficiais, de autoria dos próprios autores, terão acesso às melhores propostas de solução enviadas, comentários e outras curiosidades.
A chave de acesso pode ser pedida para clubededetectives@gmail.com.
Pela qualidade das obras já editadas, deixamos aqui a nossa entusiástica recomendação.
É que vale mesmo a pena!





sábado, 12 de Abril de 2014

OUTROS TEMPOS... BONS TEMPOS?

Há uns anitos atrás, as coisas eram assim mesmo...
Encontrámos por acaso esta foto e resolvemos partilhá-la...

O INSPECTOR FIDALGO COM AS SUAS "DORES DE CABEÇA"

Parece ser coisa do passado longínquo para a malta da era do digital, do e-mail e afins, mas a imagem é do tempo em que as soluções aos nossos enigmas e torneios eram feitas em papel!

E o orientador ia ao PÚBLICO buscar "paletes" de cartas e postais, que os CTT faziam o favor de deixar ir em caixas, ou então era o cabo dos trabalhos! Havia cartas que estavam mal endereçadas, mas bastava haver a palavra Policiário, ia parar ao jornal, nem que fosse Policiário-Lisboa!

Depois, era a trabalheira de abrir as cartas, seleccioná-las por assuntos, por provas, etc, encontrar o tempo para ler tudo muito direitinho, com o mínimo de erros que fosse possível e depois, "à mãozinha" que nesses tempos não havia "exel" organizar classificações de mais de um milhar de "detectives"...

Bons tempos esses?