domingo, 23 de abril de 2017

POLICIÁRIO 1342



ABERTO O COFRE DOS DIAMANTES

Um dos momentos mais aguardados é o da divulgação dos confrontos de cada eliminatória da Taça de Portugal, por uma dupla razão: Primeiro porque cada “detective” fica a saber que superou a etapa anterior e como tal se mantém na luta pelo título; a segunda é por ficar a saber quem é o opositor directo, aquele com quem vai disputar o direito a prosseguir em frente.
Hoje, para além da publicação dos resultados do sorteio, vamos ficar a saber a solução do enigma proposto pelo confrade Rigor Mortis e que constituiu a parte II da prova n.º 2. Recordamos que a solução do problema da parte I, também de autoria do mesmo confrade, foi publicada na passada semana.

CAMPEONATO NACIONAL E TAÇA DE PORTUGAL – 2017
SOLUÇÃO DA PROVA N.º 2 – PARTE II
“O COFRE DOS DIAMANTES” - de RIGOR MORTIS

B - 6666
Os nomes dos 5 netos do Afonso começam por cada uma das vogais, não é?
Daí a fixação dele pelas vogais…
Claro que não é possível “somar” letras… Mas…
Tomem-se as cinco vogais, por qualquer ordem.
Associe-se a cada uma das 5 vogais um algarismo, de 1 a 5. Da forma que se pretender.
Escreva-se o número correspondente, colocando o respectivo algarismo no lugar de cada uma das vogais.
De acordo com as indicações do Afonso na carta, haverá “que rodar quatro vezes as cinco vogais e que as somar”.
Rodem-se os algarismos desse número 4 vezes, de cada vez levando o algarismo da esquerda para o fim, à direita (ou da direita para o princípio, à esquerda, tanto faz). Após cada rotação anote-se o número obtido.
Somem-se os 5 números assim obtidos, o inicial e os obtidos após cada rotação.
Qualquer que seja a ordem inicial das vogais, e consequentemente, dos algarismos, a soma será sempre 166665.

Exemplos:
                        a e i o u                      i u o e a                      u o i e a
                        1 2 3 4 5                     1 3 5 4 2                     2 4 5 3 1
1ª rotação       2 3 4 5 1                     3 5 4 2 1                     4 5 3 1 2
2ª rotação       3 4 5 1 2                     5 4 2 1 3                     5 3 1 2 4
3ª rotação       4 5 1 2 3                     4 2 1 3 5                     3 1 2 4 5
4ª rotação       5 1 2 3 4                     2 1 3 5 4                     1 2 4 5 3
           Soma     166665          Soma    166665          Soma    166665
Como o cofre só tinha 4 discos de segredo, o pequeno rapidamente intuiu que o segredo era 6666…


TAÇA DE PORTUGAL – 2017
XXV ANIVERSÁRIO
CONFRONTOS PARA A 3.ª ELIMINATÓRIA

O resultado do sorteio ditou os confrontos que vamos publicar de seguida. Todos os confrades cujos pseudónimos constam, superaram os seus adversários e vão agora disputar o acesso à etapa seguinte, com os respectivos opositores, tendo como pano de fundo os desafios da prova n.º 3, cujo prazo para resolução termina no próximo dia 30 de Abril:
Homem Aranha – Udino; Professor Tarik – Chico Máximo; Jack Boamassa – Procopo; António Xavier – Mitola; MB Silva – Insp. Columbo; XPTO – Sobola; Vata – Moratti; Tiranossauro – Lobrox; Marta Finória – FCP; João Nespera – Padre Amaro; Amaral Neto – Insp. Jack; Pepe Rápido – Det. 2010; Toygrosso – Visionário; Bóris – Det. Alfacinha; Agente Jacto – Larama Coyote; Capitão Mário – Zurrapão; Trotinetas – Agente Diabólico; Pedroski – Insp. Troca; Sixolina – Agente Alxara; Det. Cuecas – Falcao; Uniaque – Marcos Serra; Pecador Militante – Super Dragon; Insp. Ventoínha – Insp. Cristiano; Sul Airam – Daniel Falcão; Agente Pincelada – Insp. Ferro; Celina Catau – The Lion King; Búfalos Associados – Pikachu; Teatrina – Joca Porreta; Carolina Pimpão – Insp. Juca; Luna Bala – Lima Amaro; Mister H – Kuskas; Mary Doll – Vercce; Super Alpha – Minotauro; Corto Maltese – João Vitola; Number One – Abreu; Bianca Vera – Dr. Quaresma; Xakal – Insp. Vilaverde; Prussian Boy – Lua Nova; Dr. Fonseca – The Boss; A Troikista – Dique Forte; Carreto Marrão – Chepnow; Aldo Pimenta – Senhor Porco; Vampirina – Bruna Amado; Académico – Helicor; Boatola – Det. Jeremias; Galileu – Zé Janeca; Bistroiko – Guedes Ohm; Malone – karl Marques; Deco – Zeca Lupas; Milit.com – Ato Final; Insp. Moscardo – Dona Xepa; Comissário Maigret – Action F; Troikeiro – Vampiro do Ó; Tó Corneta – Insp. Aranha; Zé Zarolho – João Belo; Hugo Foguete – Padeiro do Aljube; Paulo – Conselheiro Acácio; Lusito – Wanda Milá; Insp. Boavida – Gasos Pancali; Zorba Syriza – Brilhantina; Major Alvega – Agente Dourado; TT – Bart Simpson; Ego – Peter O; Alex – Super Tónio; Wesblog – BZZ; Hilária Clintona – Quaresma; Tiko – Reguso; Det. Vira Casaca – Ribeiro de Carvalho; Maria Bruxa – Teresa Afonso: Linda Bera – Agente Irish; Atuga Silca – Agente Guima; Testa Rossa – Lady Betty; Prof. Marcelo – Agente Jota; Tigana – Trinitá; Cordélio – Pronto.pt; Irmão Metralha – Geringonça; Quimtrofa – Decifrador Lopes; Vetamina – Det. Jota Carica; Troikosta – Big Gib; Vari Sela – Bala Xis; Cibernético – Acacrime; Ozela – Juz Cougar; Charlie – Papari; Lucifer – Articrime; Vi Da – Carla Pina; Zé Bacalhau – Viriato; Albino – Free Love; Badmix – Zurc; Bino – O Gato Preto; Zé Ferry – Luís Zero; Mila 18 – Zé Zero; Ayko – Adélia; Talismã – Almínio; Syd – Insp. Burc; Big Luna – Dual Post; Insp. Mizzi – Insp. Africano; Rigor Mortis – Wagner Cuba; CSI Brandoa – Dr. Famoso; Erme Linda – Adélix; Sossavart – Ébano; Louro Sai – Zé; Branco & Preto – Azimute; Ordoc – Funny; Axacal – Det. Marafado; Vigantol – Dr. Zerinho; Manitu – Apitus; Syriza – Beta; Luís Poirot – Teresa M; Sir Francis – Mello; Cromoxis – Babaco; Basalita – Erzália; Det Jagodes – Prof. Ordoc; Insp. Birrento – Falamil; Zázá – Aldino Pires; Seyl – Lenkinha; Fochild – Cota Mil; A Raposo & Lena – Xappo; Licas – Assavil; Vidal – Alarve; Obélix – Sininho; Tortulho – Okaka; Arco.com – JJ Neta; Mimi – Cárgula; Lady Shira – Gacol; Piaxo – Fina Live; Silumano – Zabiá; GPS – Chico Zé; A Selenix – Ezexel;   

    


domingo, 16 de abril de 2017

POLICIÁRIO 1341



CONVÍVIO POLICIÁRIO E SOLUÇÕES

XIV Convívio da Tertúlia Policiária da Liberdade

Será no próximo dia 21 de Maio o XIV Convívio da Tertúlia Policiária da Liberdade, a realizar no Restaurante Taverna dos Trovadores, situado na Praça D. Fernando II, 18, em S. Pedro de Sintra.
O essencial do almoço vai ser uma festa gastronómica constituída pelos sete pratos e um doce de “ O Livro de Pantacruel”. Leu bem, não se trata do mui estimável livro antigo, o de Pantagruel. Aqui, é mesmo o de Pantacruel, coisa mais moderna, que inclui um conjunto de oito estórias erótico-mortíferas ligadas a um mesmo número de diferentes receitas culinárias. Cada um petiscará conforme o seu gosto. Melhor é difícil arranjar.
Este convívio contará, ainda, com a simpatia de Fernando Pereira, o dono da Taverna dos Trovadores, que, de certeza, nos oferecerá poesia e música para levarmos no coração.
O programa é o seguinte, por apenas 16 euros:
12:00 H – Início da concentração.
12:30 H – Apresentação de “O Livro de Pantacruel”, edição TPL 2017.
13:15 H – Almoço Pantacruélico.
15:00 H – Homenagens ao blogue “Crime Público” e ao site “Clube de Detectives”.
15:30 H – Momentos de Poesia e Música
Contactos, para esclarecimentos e inscrições, que deverão ser efectuadas até às 18 horas do dia 19 de Maio: 214719664 ou 966102077 (Pedro Faria); 213548860 ou 966173648 (António Raposo); 219230178 ou 965894986 (Rui Mendes).

CAMPEONATO NACIONAL E TAÇA DE PORTUGAL – 2017
SOLUÇÃO DA PROVA N.º 2 – PARTE I
“TRUFAS E MORTE” – de RIGOR MORTIS

Não iria de facto ser nada fácil ao inspector João Velhote provar quem fora o assassino do Jeremias. Talvez o trabalho de sapa de averiguações à volta da pequena pistola cromada, da engenhoca a ela associada e do comando de garagem conduzissem a provas irrefutáveis, talvez a polícia viesse a encontrar alguém que tivesse visto um dos familiares do Jeremias dirigir-se à mansão noutra altura que não àquele jantar… Mas iria ser o cabo dos trabalhos.
Para mais ele tinha todas as razões para crer que sabia quem tinha sido o assassino.
As evidências recolhidas levavam Velhote a focar as suas suspeitas nalgum dos três irmãos:
·      Os outros membros da família não tinham simpatias pelo Jeremias, mas nenhum deles aparentava ter rancor extremo pelo homem.
·      Os três filhos do Jeremias, todavia, evidenciavam de longa data ódio pelo pai, sem dúvida causado pelos muitos anos de frieza, aspereza e desprezo com que ele os tratara.
·      A construção da engenhoca que provocara o disparo da pistola exigia inteligência, alguns conhecimentos tecnológicos e habilidade de mãos, atributos que qualquer dos irmãos tinha.
·      Além do Edgar e do próprio Jeremias, apenas os três irmãos tinham a chave da mansão ribatejana. Portanto, só eles poderiam em alguma altura ter lá ido instalar a pistola no lustre. Essa oportunidade só poderia ter ocorrido na tarde do domingo anterior ao jantar de aniversário, dois dias antes deste, única altura naqueles dias em que ninguém estava na mansão. Se a instalação tivesse sido feita antes das limpezas da casa pelo Edgar e pelos criados a pistola teria sido obviamente detectada – o lustre da sala de jantar não terá escapado a essa limpeza.
Três outros factos apontavam para que o assassino fosse concretamente a Catarina:
·      Alberto e Sofia tinham passado brevemente pela casa, durante as limpezas. Não teria sentido que o fizessem se pretendessem instalar a engenhoca no lustre. Com os criados em limpezas – e sabê-lo-iam certamente – não o poderiam fazer sem que fossem notados. Catarina, pelo contrário, não apareceu na mansão durante esses dias…
·      Naquele domingo os três irmãos tinham almoçado juntos em Lisboa, após o que Alberto e Sofia tinham ido ver um jogo de râguebi da antiga equipa do Alberto, passando portanto a maior parte da tarde juntos. Catarina não os acompanhara, afirmando querer ir ao cinema. Distando a mansão uma hora de automóvel de Lisboa, ela teve portanto a oportunidade para instalar a pistola no lustre, certamente conhecedora dos hábitos do Edgar e de que a mansão estaria sem ninguém na tarde desse domingo. Pequena como era, não lhe terá sido fácil camuflar a pistola no lustre, dada a altura a que este estava – para observar a pistola disfarçada no lustre, o inspector João Velhote pusera-se de pé em cima da mesa – mas uma cadeira em cima da sólida mesa de mogno terá resolvido o problema.
·      Da descrição da posição dos convivas à volta da mesa, Catarina ocupava o topo precisamente oposto àquele em que se sentava o pai, assento que lhe correspondia por ser a mais nova dos três irmãos. O lustre estava por cima da mesa de jantar, certamente ao centro desta, e a pistola instalada junto ao seu eixo central, portanto na vertical ao centro da mesa, apontando para a parte superior da cadeira onde o Jeremias estava sentado. Sendo a mesa rectangular e estando o lustre relativamente alto devido ao pé direito da sala, a posição da Catarina à mesa, no topo oposto ao do pai, era necessária e fundamental para saber o momento preciso em que a posição do Jeremias fosse tal que a sua cabeça estivesse na linha de mira da pistola. À sobremesa, esse foi o momento escolhido para activar o comando de garagem, emitindo o sinal que, recolhido pela antena da engenhoca que montara e ajustara à pistola, provocou uma corrente eléctrica no solenóide e a consequente sucção do êmbolo, levando à pressão no gatilho da arma e ao disparo.
O Leitor, com os seus dotes de telepatia, dispõe ainda de dois outros elementos, que o inspector João Velhote não podia conhecer já que não teve acesso aos pensamentos do assassino durante o jantar:
·      Quando o assassino se interroga sobre se o Jeremias estaria a desconfiar de alguma coisa, a pergunta que coloca a si próprio é “Será que ele desconfia de alguma coisa?... De mim, ou dos meus irmãos?...” Obviamente, quem coloca a pergunta é uma das irmãs, já que se fosse o Alberto teria pensado “De mim, ou das minhas irmãs?”
·      Ao criticar mentalmente as tias, a assassina diz para si própria “Felizmente, uma mulher hoje é muito mais que roupas e culinária!” Quando comenta mentalmente o consommé, o seu pensamento é “Magnífico consommé! O Edgar levou a cozinheira a exceder-se!” Estes são pensamentos muito mais atribuíveis a uma mulher de características bem femininas – a Catarina – do que a uma mulher de porte atlético e altamente habituada a uma forte competição de natureza física – a Sofia.
Certamente que o Leitor também terá também concluído que foi a Catarina quem matou o Jeremias!...




quarta-feira, 12 de abril de 2017

CONFRONTOS 3.ª ELIMINATÓRIA


TAÇA DE PORTUGAL – 2017

XXV ANIVERSÁRIO

CONFRONTOS PARA A 3.ª ELIMINATÓRIA

 

Homem Aranha – Udino; Professor Tarik – Chico Máximo; Jack Boamassa – Procopo; António Xavier – Mitola; MB Silva – Insp. Columbo; XPTO – Sobola; Vata – Moratti; Tiranossauro – Lobrox; Marta Finória – FCP; João Nespera – Padre Amaro; Amaral Neto – Insp. Jack; Pepe Rápido – Det. 2010; Toygrosso – Visionário; Bóris – Det. Alfacinha; Agente Jacto – Larama Coyote; Capitão Mário – Zurrapão; Trotinetas – Agente Diabólico; Pedroski – Insp. Troca; Sixolina – Agente Alxara; Det. Cuecas – Falcao; Uniaque – Marcos Serra; Pecador Militante – Super Dragon; Insp. Ventoínha – Insp. Cristiano; Sul Airam – Daniel Falcão; Agente Pincelada – Insp. Ferro; Celina Catau – The Lion King; Búfalos Associados – Pikachu; Teatrina – Joca Porreta; Carolina Pimpão – Insp. Juca; Luna Bala – Lima Amaro; Mister H – Kuskas; Mary Doll – Vercce; Super Alpha – Minotauro; Corto Maltese – João Vitola; Number One – Abreu; Bianca Vera – Dr. Quaresma; Xakal – Insp. Vilaverde; Prussian Boy – Lua Nova; Dr. Fonseca – The Boss; A Troikista – Dique Forte; Carreto Marrão – Chepnow; Aldo Pimenta – Senhor Porco; Vampirina – Bruna Amado; Académico – Helicor; Boatola – Det. Jeremias; Galileu – Zé Janeca; Bistroiko – Guedes Ohm; Malone – karl Marques; Deco – Zeca Lupas; Milit.com – Ato Final; Insp. Moscardo – Dona Xepa; Comissário Maigret – Action F; Troikeiro – Vampiro do Ó; Tó Corneta – Insp. Aranha; Zé Zarolho – João Belo; Hugo Foguete – Padeiro do Aljube; Paulo – Conselheiro Acácio; Lusito – Wanda Milá; Insp. Boavida – Gasos Pancali; Zorba Syriza – Brilhantina; Major Alvega – Agente Dourado; TT – Bart Simpson; Ego – Peter O; Alex – Super Tónio; Wesblog – BZZ; Hilária Clintona – Quaresma; Tiko – Reguso; Det. Vira Casaca – Ribeiro de Carvalho; Maria Bruxa – Teresa Afonso: Linda Bera – Agente Irish; Atuga Silca – Agente Guima; Testa Rossa – Lady Betty; Prof. Marcelo – Agente Jota; Tigana – Trinitá; Cordélio – Pronto.pt; Irmão Metralha – Geringonça; Quimtrofa – Decifrador Lopes; Vetamina – Det. Jota Carica; Troikosta – Big Gib; Vari Sela – Bala Xis; Cibernético – Acacrime; Ozela – Juz Cougar; Charlie – Papari; Lucifer – Articrime; Vi Da – Carla Pina; Zé Bacalhau – Viriato; Albino – Free Love; Badmix – Zurc; Bino – O Gato Preto; Zé Ferry – Luís Zero; Mila 18 – Zé Zero; Ayko – Adélia; Talismã – Almínio; Syd – Insp. Burc; Big Luna – Dual Post; Insp. Mizzi – Insp. Africano; Rigor Mortis – Wagner Cuba; CSI Brandoa – Dr. Famoso; Erme Linda – Adélix; Sossavart – Ébano; Louro Sai – Zé; Branco & Preto –Azimute; Ordoc – Funny; Axacal – Det. Marafado; Vigantol – Dr. Zerinho; Manitu – Apitus; Syriza – Beta; Luís Poirot – Teresa M; Sir Francis – Mello; Cromoxis – Babaco; Basalita – Erzália; Det Jagodes – Prof. Ordoc; Insp. Birrento – Falamil; Zázá – Aldino Pires; Seyl – Lenkinha; Fochild – Cota Mil; A Raposo & Lena – Xappo; Licas – Assavil; Vidal – Alarve; Obélix – Sininho; Tortulho – Okaka; Arco.com – JJ Neta; Mimi – Cárgula; Lady Shira – Gacol; Piaxo – Fina Live; Silumano – Zabiá; GPS – Chico Zé; A Selenix – Ezexel.

terça-feira, 11 de abril de 2017

CONFRONTOS ADIADOS

TAÇA DE PORTUGAL - 2017


XXV ANIVERSÁRIO

Por dificuldades inesperadas, não é possível divulgar hoje os confrontos, como fora prometido.
Com as nossas desculpas, esperamos poder fazê-lo durante o dia de amanhã.


CONFRONTOS PARA A 3.ª PROVA

TAÇA DE PORTUGAL - 2017
XXV ANIVERSÁRIO

CONFRONTOS PARA A 3.ª PROVA,

AINDA HOJE, AQUI!

domingo, 9 de abril de 2017

POLICIÁRIO 1340



 SUBCHEFE PINGUINHAS PERGUNTA:
DE QUEM É A CARTEIRA?

Na caminhada que nos conduz ao XXV aniversário desta nossa secção de Policiário, a ocorrer já no próximo dia 1 de Julho e, mais à frente, à conclusão das nossas competições de 2017, surge o segundo desafio da prova 3, tal como o primeiro de autoria do confrade Inspector Boavida, tendo, desta feita como figura principal o subchefe Pinguinhas, a braços com mais um caso intrincado…

CAMPEONATO NACIONAL E TAÇA DE PORTUGAL – 2017
PROVA N.º 3 – PARTE II
“O SUBCHEFE PINGUINHAS NO POSTO DE TURISMO” – Original de INSPETOR BOAVIDA
            
Com o encerramento da esquadra onde prestava serviço, na baixa de Lisboa, o subchefe Pinguinhas foi destacado no início do ano para um posto de apoio aos turistas que nesta altura enxameiam a cidade. Quatro deles entraram um dia destes esbaforidos no posto, ao início da noite, aos gritos uns com os outros, expressando-se nos seus respetivos idiomas: turco, somali, curdo e romeno. Nem eles se entendiam, quanto mais o pessoal do posto, que procurava em vão perceber o motivo da refrega. A muito custo, Pinguinhas conseguiu entender que o pomo da discórdia era uma carteira, contendo três mil euros, que o turco tinha na mão e que os outros três reclamavam também como sua.
Para além do dinheiro, em notas de cinquenta, vinte, dez e cinco euros, a carteira continha alguns papéis (faturas de cafés emitidas sem nome ou número de contribuinte, uma fração da lotaria clássica para o sorteio do dia seguinte, um talão de registo do euromilhões para terça-feira e um bilhete para a próxima sessão do espetáculo em cena no Teatro Nacional D. Maria II), mas nada de passaporte ou qualquer outro documento que pudesse identificar o seu proprietário. O subchefe Pinguinhas não desarmou e desatou a fazer perguntas num inglês pausado e acompanhado de largos e repetitivos gestos, que eles se esforçavam por entender de testa franzida e olhares interrogadores.
Através deste processo, ficou a saber-se que o cidadão romeno está em Lisboa há cinco dias, o somali e o curdo há quatro, enquanto o turco chegara na manhã da antevéspera. Soube-se também que, curiosamente, estão todos alojados no mesmo local, razão por que Pinguinhas se dirigiu de imediato para lá. No hostel, depois de conferir os passaportes dos quatro, tomou conhecimento de que todos reservaram alojamento por seis noites, partindo imediatamente no dia seguinte cada um deles para outra cidade europeia, por via aérea: o turco a início da manhã, rumo a Paris; o romeno ao fim da manhã, com destino a Praga; o curdo e o somali a meio da tarde, em direção a Londres.
Com a preciosa ajuda do rececionista do hostel, que entendia o mais básico das línguas nativas dos quatro turistas desavindos, o subchefe Pinguinhas conseguiu perceber que o início da contenda se verificou na entrada para a composição do metro na estação dos Restauradores, quando à frente deles caiu a carteira a que todos deitaram a mão, tendo o turco sido o mais hábil na disputa pela sua posse. A discussão, em altos berros, numa polifonia de idiomas, começara nesse momento, com todos a reclamarem como sua a carteira que se abrira literalmente perante todos com as várias notas de euro expostas pelo chão da plataforma. Exatamente três mil euros, ali contados a olho nu!
O subchefe Pinguinhas ainda pensou em perguntar a cada um dos turistas onde ficam os cafés que emitiram as faturas que estavam na carteira e a que serviços se reportavam, ou onde foi comprada a fração da lotaria e feito o registo da aposta do euromilhões, mas não o fez por dificuldade de comunicação. De qualquer maneira, embora não deixasse de fazer essa e outras diligências no dia seguinte de manhã bem cedo, com o apoio de um intérprete das várias línguas em presença, considerou que tal não seria necessário para saber a qual deles podia pertencer a carteira. Ou seja, depois de juntar todas as peças do caso, ele concluiu que o proprietário da carteira podia ser:
A: o romeno;
B: o turco;
C: o somali;
D: o curdo.

               
E pronto.
Com os dados lançados, é chegada a altura de todos os nossos “detectives” serem chamados a dizerem-nos a quem poderá pertencer a carteira, indicando explicitamente a letra correspondente à opção tomada (sob pena de ser considerada resposta errada), impreterivelmente até ao próximo dia 30 do corrente mês de Abril, para o que poderão usar um dos meios seguintes:
- Pelos Correios : Luís Pessoa, Estrada Militar, n.º 23, 2125-109 MARINHAIS;
- Por entrega em mão ao coordenador do espaço, onde quer que o encontrem.

Boas deduções!

RESULTADOS DA PROVA N.º 1

Encontram-se já disponíveis as pontuações obtidas pelos nossos “detectives” na prova n.º 1 do Campeonato Nacional, no blogue Crime Público, em http://blogs.publico.pt/policiario ou no sítio do confrade Daniel Falcão, Clube de Detectives, em http://clubededetectives.pt.
Recordamos que todos os resultados são sempre publicados em primeira mão no blogue Crime Público ou nesta nossa secção, conforme as disponibilidades.
Também os endereços de e-mail acima referidos para envio das propostas de solução, podem ser utilizados pelos nossos leitores e “detectives” para qualquer dúvida ou assunto que possa surgir, havendo sempre uma resposta, ainda que possa tardar algum tempo, devido a possíveis acumulações de correspondência.


















sábado, 8 de abril de 2017

NOVO BLOGUE DE COISAS "QUASE" CRIMINAIS

Abrimos mais uma janela na blogosfera.

O "TRETAS À PORTUGUESA" vai tratar de "coisitas" que se passam na nossa vida de todos os dias, por que quase todos já passamos e que seriam "quase" casos de polícia, se não se passassem em Portugal!

O primeiro relato, já publicado, tem como alvo a GALP ON, fornecedor de electricidade e a denominada autoridade reguladora, a ERSE. A vítima, como sempre, é um consumidor português que no fim das contas ficou a haver da GALP ON uma importância em dinheiro, que esta lhe cobrou abusivamente!!

Em breve haverá outros casos e o próximo vai direitinho à NESTLÉ (DOLCE GUSTO) e seus concursos da treta e envolve também um secretário do Ministério da Administração Interna, a quem devia competir zelar pelo cumprimento dos regulamentos dos concursos!

Outros se seguirão! 

Este blogue está aberto a TODOS que tenham "casos" com entidades, Estado, empresas...

Estamos em tretasaportuguesa.blogspot.pt