domingo, 27 de Julho de 2014

POLICIÁRIO 1199

[Transcrição da secção n.º 1199 publicada 
hoje no jornal PÚBLICO]


SORTEIO DITA MAIS UMA ELIMINATÓRIA
 DA TAÇA DE PORTUGAL


Pé ante pé, de forma segura, vão prosseguindo as nossas competições desta época, aproximando-nos do momento de todas as decisões.
Como sempre acontece, muitos dos nossos “detectives” vão deixando a competição, pelos mais variados motivos, uma situação perfeitamente natural.
Por vezes há muita incompreensão sobre as atitudes de alguns confrades, quando decidem parar, mas a realidade é que nenhum de nós é profissional do Policiário (e mesmo os profissionais de qualquer actividade desistem quando é necessário), todos andamos cá por pura satisfação pessoal e portanto é perfeitamente natural que haja circunstâncias em que não é possível levar por diante um torneio exigente.
A vida pessoal e profissional ou mesmo uma saturação momentânea poderão levar a uma interrupção, mais ou menos longa, mas há sempre a certeza de que o “bichinho” está lá e, mais tarde ou mais cedo, cada “detective” escolherá o seu momento de regressar ao nosso convívio, enquanto competidor, porque continuará sempre a acompanhar o desenrolar da nossa actividade.

Neste tempo de férias, queremos saudar todos os confrades, quer estejam em actividade ou em período de pausa e desejar bom repouso e que o recarregar das “baterias” ocorra da melhor forma.
Apesar de tudo, com muito Policiário e boas leituras!


TAÇA DE PORTUGAL
SORTEIO DOS 1/16 AVOS DE FINAL



Entretanto, o sorteio da Taça de Portugal revelou os confrontos para mais uma eliminatória e, desta vez, com muito para contar!
À medida que nos aproximamos da final da competição, nenhum confrade pode estar à espera de facilidades e se os sorteios não têm juntado os “detectives” mais candidatos à vitória final, esta eliminatória começou a inverter essa lógica e revela-nos confrontos, no mínimo, muito interessantes.
Os confrades que constam deste sorteio eliminaram os seus opositores, mediante respostas mais valiosas, no critério pessoal do orientador da secção, aos desafios que compuseram a prova n.º 5 do Campeonato Nacional,
Vamos ao resultado do sorteio:

Inspector Boavida – Milt.com; Karl Marques – A Raposo & Lena; Búfalos Associados – Jo.com; Detective Jeremias – Verbatim; Deco – AA Nogueira; Agente Guima – Ribeiro de Carvalho; Paulo – Bernie Leceiro; Mister H – Detective Wysel; Inspector Aranha – Rigor Mortis; Zappa – Inspector Pi; Rip Kirby – Sargento Estrela; Ego – Inspector Sonntag; Inspector Moscardo – Daniel Falcão; Hamlet – Zé; Flo & Tânia – Inspector Columbo e Inspector Gigas – Vorsicht-25.

Destaque para o confronto entre a Detective Jeremias e Verbatim, dois bons candidatos à vitória final.
Grande emoção, pelo esperado equilíbrio, para os confrontos entre Karl Marques e A Raposo & Lena ou entre Paulo e Bernie Leceiro; Grande expectativa para um excelente embate em perspectiva, entre uma revelação, o confrade Rigor Mortis e um veterano muitas vezes premiado, Inspector Aranha…

Enfim, cada confronto terá a sua história e nós cá estaremos para contar.
Recordamos que estes confrontos serão decididos pelas soluções apresentadas aos desafios da prova n.º 6, que foram publicados nas nossas edições dos dias 6 e 13 do corrente mês e cujo prazo limite para envio é o dia 20 de Agosto.
Qualquer dos desafios está disponível para leitura ou consulta no blogue Crime Público, em http://blogs.publico.pt/policiario ou no sítio Clube de Detectives, do confrade Daniel Falcão, em http://clubededetectives.net.


SECÇÃO “CORREIO POLICIAL”

Com origem em Santarém, prossegue o seu rumo, a secção policiária orientada por Domingos Cabral, o Inspector Aranha, no Correio do Ribatejo, um semanário que se publica desde 1891.
Com um variado leque de assuntos, a publicação de problemas e contos policiários, de autoria de grandes mestres da arte de bem produzir e de bem contar histórias, é uma das suas vertentes mais interessantes, mas há muitas ideias e projectos em andamento, com convite aos leitores para decifração de enigmas
Para que os nossos “detectives” possam tomar contacto com a secção, que está a registar assinalável êxito, muito graças à sua excelente qualidade, podem enviar um e-mail para d.cabral@sapo.pt ou escreverem para Correio do Ribatejo, a/c Domingos Cabral, Rua Serpa Pinto, 94, 2000-214 SANTARÉM.
Acreditem que vale mesmo a pena ler e acompanhar.


PROPOSTA PARA UM ESCRITO DE FÉRIAS…


O nosso confrade setubalense Ricardo, que para nós é o Abrótea, remeteu um mail com uma proposta “à navegação” para a feitura de um conto (ou algo mais) a várias mãos…
Eis o teor da missiva:

“Votos de muita saúde para todos/as, agora que as férias estão mesmo, mesmo próximo, e com mais tempo livre para trabalhar em tudo, pensei em vos convidar para participar num conto colectivo. Cada um de nós escreverá uma pequena parte, e poderemos segui-lo nas nossas homepages. Aceitam-se sugestões. Gostaria da participação de todos.
Forte abraço do amigo ao dispor
Abrótea”

Aqui está uma boa proposta para quem está de “papo ao sol”, refastelado numa praia qualquer, com o ruído do mar em fundo… Ou para quem está repousadamente junto às águas calmas de um rio, à espera que um incauto peixe morda…
Numa altura em que nos debatemos com uma crise terrível de falta de produções policiárias, ao ponto de haver o risco real de não conseguirmos levar a cabo os torneios a que nos propusemos, qualquer iniciativa que ponha pessoas a escrever, será sempre de incentivar e divulgar.
O nosso confrade pode ser contactado para o endereço semumtusto1@gmail.com para onde devem ser enviadas todas as dúvidas e sugestões.

sexta-feira, 25 de Julho de 2014

TAÇA DE PORTUGAL - SORTEIO DOS 1/16 AVOS DE FINAL

... E os confrontos são...

Inspector Boavida – Milt.com; Karl Marques – A Raposo & Lena; Búfalos Associados – Jo.com; Detective Jeremias – Verbatim; Deco – AA Nogueira; Agente Guima – Ribeiro de Carvalho; Paulo – Bernie Leceiro; Mister H – Detective Wysel; Inspector Aranha – Rigor Mortis; Zappa – Inspector Pi; Rip Kirby – Sargento Estrela; Ego – Inspector Sonntag; Inspector Moscardo – Daniel Falcão; Hamlet – Zé; Flo & Tânia – Inspector Columbo e Inspector Gigas – Vorsicht-25.


CONFRONTOS DA TAÇA DE PORTUGAL

AINDA HOJE, 6.ª FEIRA, TEREMOS AQUI OS CONFRONTOS DOS 1/16 AVOS DE FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL - 2014!

ATÉ LÁ...

domingo, 20 de Julho de 2014

POLICIÁRIO 1198

[Transcrição da secção n.º 1198 publicada 
hoje no jornal PÚBLICO]

PASSEIO PELO PORTO COM MERGULHO NA PRAIA DAS PEDRAS BRANCAS…

É a proposta que o nosso confrade Bernie Leceiro nos deixa aquando da publicação das soluções dos dois enigmas de sua autoria, passados na zona da cidade do Porto e suas praias.
Convenhamos que, em plena época de férias para muitos dos nossos “detectives”, será uma proposta tentadora fazer o “roteiro gastronómico” proposto pelo confrade e, depois da digestão devidamente concluída, pelo menos os mais audazes, fazerem o tal mergulho em busca dos restos do submarino…


CAMPEONATO NACIONAL E TAÇA DE PORTUGAL – 2014

SOLUÇÕES DA PROVA N.º 5

PARTE I
“INGREDIENTE SECRETO” – Original de BERNIE LECEIRO

O ingrediente secreto proposto no enigma é BASÍLICO, nome científico de Ocimum basilicum, ou manjericão, planta aromática muito utilizada na cozinha italiana.
A chave para o enigma passa pela associação do alfabeto latino resultante do acordo ortográfico de 1945, com 23 letras, ás 23 paragens da linha A ou linha Azul do Metro do Porto.
No texto são descritos oito momentos, ou oito associações de uma visita de uma Napolitano da vila de Positano à região do Grande Porto, que descreve ao seu amigo inspector Alves da Selva, ausente do país, em missão sentimental pelos países quentes da América Latina.
 Para tal usou como meio de transporte o Metro do Porto, nomeadamente a linha azul que liga Matosinhos ao Estádio do Dragão.

Fazendo a associação das letras à respectiva estação por ordem crescente:
1ª paragem – Senhor de Matosinhos – letra A
2ª paragem – Mercado - letra B
3ª paragem – Brito Capelo – Letra C
E assim sucessivamente até…
23ª paragem – Estádio do Dragão – Letra Z

Assim obtemos:
B – Mercado
A – Senhor de Matosinhos
S – Trindade
I – Vasco da Gama
L - Sete Bicas
I – Vasco da Gama
C – Brito Capelo
O – Francos

Fica aqui a sugestão a toda a comunidade policiária para uma visita ao grande Porto. Cá estaremos para vos receber com enorme hospitalidade, usem os transportes públicos a maneira mais prática, mais barata e melhor para conhecerem a riqueza patrimonial e cultural das nossas cidades.



  PARTE II
“O ÚLTIMO MERGULHO DO SUBMARINO U-1277”
Original de BERNIE LECEIRO

O intruso na lista apresentada é o C- Oficial Médico – Wolfgang Schäuble.
O submarino U-1277 era um submarino do tipo u-boat com 44 tripulantes a bordo do qual faziam parte 4 oficiais, 1 navegante, 1 contramestre, 2 sub-oficiais de motores (eléctricos e diesel), 2 sargentos escutas, 3 cabos operadores de rádio, 4 cabos operadores de motores, 17 cabos de marinha, 9 marinheiros e 1 cozinheiro.
O posto de oficial médico só era ocupado em submarinos maiores com tripulação superior a 50 pessoas, como os do tipo IX, X, XIV e XXI.
Resta fazer um convite a todos os amantes de mergulho, que ainda hoje é possível visitar o que resta do submarino alemão, ao largo da actual Praia das Pedras Brancas, em Lavra. Para quem não for adepto do mergulho aproveitem para dar uma caminhada e usufruir das excelentes condições dos novos passadiços da marginal e quando passarem na Praia das Pedras Brancas podem repousar um pouco e respirar um pouco da história mundial que repousa nas nossas águas.


PRODUÇÕES

Assegurada, como sempre, a disponibilidade dos produtores mais activos da nossa secção, uma disponibilidade que não nos cansamos de agradecer, aguardamos por “sangue novo”, novos métodos e processos de escrita, novidades.

A nossa actividade baseia-se, em primeira instância, na qualidade dos desafios que temos para propor aos “detectives”. É frustrante chegarmos à conclusão de que um determinado problema não tem a resposta adequada, depois de imenso tempo perdido na sua análise, ou que é anulado após tanto esforço.
Por isso vamos lançando o nosso apelo para que os nossos “detectives” elaborem um desafio, de qualquer dos tipos e o façam com o espírito de propor aos restantes confrades aquilo com que gostariam de ser confrontados. Aquilo que lhes daria prazer resolver.
Um problema passa sempre pelo contar de uma história, por retratar uma cena verosímil, capaz de ter ocorrido em qualquer lugar, que envolva um enigma e a sua resolução. Terminada a exposição dos factos, no exacto momento em que o investigador vai passar à fase de apresentação das conclusões e exibir as provas em que se baseia para apontar o responsável, o produtor interrompe o seu conto e lança os seus desafios. Alguns produtores escolhem o método de fazer algumas perguntas, que querem ver respondidas, outros optam por simplesmente interromperem o texto e aguardarem pelos relatórios. No caso dos de escolha múltipla, o texto termina com as quatro hipóteses de solução, de entre as quais o decifrador terá que escolher uma.

Não é aceitável que tenhamos hoje um universo de participantes nos nossos desafios de mais de dois milhares de confrades, que os lêem e estudam, se dão ao trabalho de escreverem as soluções, mas não tenham a curiosidade de testarem os seus dotes de escrita de desafios!
Fazendo o paralelismo com o que foi a nossa actividade nos anos 70 e 80 do século passado, a produção fica a perder, já que nesses tempos o universo de decifradores rondaria as cinco ou seis centenas, para um número de produtores que rondaria a centena!
Tal disparidade não é aceitável! As pessoas não deixaram de utilizar a Língua Portuguesa, desde logo porque o nosso passatempo exige que se escrevam as soluções, no mínimo. Portanto, será por preguiça?
Vamos todos dar uma resposta, produzindo um desafio, não deixando morrer o sonho de continuarmos a ter Policiário, sempre à nossa disposição, por falta de produções?

Para quem está de férias ou vai iniciá-las, votos de bom descanso… Com Policiário, q.b.!




domingo, 13 de Julho de 2014

POLICIÁRIO 1197

[Transcrição da secção n.º 1197 publicada 
hoje no jornal PÚBLICO]

ALGUÉM TERÁ MENTIDO NO ROUBO DA “GIOCONDA”?

Em período de férias para muitos, vamos tentar saber o que aconteceu à “Gioconda”, numa proposta dos nossos confrades Búfalos Associados:

CAMPEONATO NACIONAL E TAÇA DE PORTUGAL – 2014
PROVA N.º 6 – PARTE II
“ROUBARAM A GIOCONDA” -  de  BÚFALOS ASSOCIADOS

  
   Há muitos anos havia zonas nesta velha Lisboa que não eram de todo recomendáveis para qualquer pacato e honesto cidadão. José Saramago, que passou alguns anos da sua juventude no bairro da Penha de França, refere no seu "Caderno 2" o Pátio do Padeiro no chamado Vale Escuro, para onde se escapulia a garotada da vizinhança em busca de aventura, "local onde a gente "normal" não se atrevia a entrar e a própria polícia evitava fazendo vista gorda aos supostos ou autênticos comportamentos ilícitos dos seus habitantes". Quando anos mais tarde o camartelo municipal limpou a área, ficou de pé durante alguns anos um pequeno prédio que incluía um cafezito chamado "Toca do Leonardo", sobrevivendo enquanto foi possível à construção das "gavetas" de habitação sobrepostas que hoje ocupam o local. O velho Leonardo tornara-se amigo do então jovem Garrett após um problema que tivera com a polícia por causa de uma questão de falta de licença para vender castanhas assadas na rua. O processo acabou por ser esquecido e o velho ficou para sempre agradecido a quem julgava ter sido o responsável pela "amnésia" da polícia. Garrett nunca o assumiu, mas a verdade é que a amizade entre os dois homens perdurou.
   Num domingo de temporal desfeito sobre Lisboa, com ventos ciclónicos e chuva que duraram todo o dia, Garrett resolveu ficar em casa a pôr papéis em ordem. Seriam talvez umas sete da tarde quando o telefone tocou. Era o Leonardo aflito a gritar: "Roubaram a Gioconda!"   - "O quê, outra vez? - exclamou Garrett. - A última vez que isso aconteceu foi em 1911! Outro italiano maluco?"- "Não brinque, Inspector, a minha gata desapareceu. Ajude-me, por favor."
   O Leonardo tivera veleidades artísticas na juventude, tendo chegado a ser autor do guarda-roupa de marchas populares. Herdara a leitaria "Flor de Ourense" da filha de um galego, de quem enviuvara há coisa de dez anos, e o "estaminé", mudado o nome, lá ia fazendo algum negócio enquanto houve clientela. Porém ultimamente naquele deserto raramente aparecia alguém e o homem dedicara-se então às castanhas assadas que vendia numa padiola clandestina, sobretudo aos domingos, quando o café estava fechado. A sua única família era agora uma gata maltesa a que dera o nome de Gioconda e que era uma espécie de mascote do café, de onde nunca saía.
   Garrett não podia faltar ao apelo do amigo e assim apanhou um táxi para o local, onde se inteirou do que se passara. Leonardo, que vivia perto, às 11 horas estivera no café a deixar comida para a Gioconda, e tudo estava normal. De seguida pedalou com a gerigonça das castanhas para o Campo Grande, pois jogava o Benfica. Não podia perder o negócio, apesar do temporal. Quando, ao fim da tarde, voltou para arrumar a geringonça, encontrou a rapariga que lhe costumava limpar o estabelecimento, a Elsa, a dar-lhe chorosa a triste notícia de que a bicha tinha desaparecido. -"Como é que aconteceu? - queixava-se o Leonardo - Fugir era impossível porque as janelas estavam todas fechadas. De certeza que a roubaram, inspector. Ontem à tarde dei pela falta de uma chave suplente que tinha pendurada na ombreira da porta. A Elsa encontrou-a hoje em cima do balcão quando aqui entrou."
   A rapariga apressou-se a esclarecer: -"Foi isso. Ainda não eram duas horas vim ao café porque na véspera tinha-me esquecido do porta-moedas. Claro que utilizei a chave que uso sempre que venho fazer a limpeza. O porta-moedas estava onde o tinha deixado, a gata é que não estava em parte nenhuma. A única porta da rua estava fechada à chave com duas voltas como o Sr. Leonardo a costuma deixar. Não tinha maneira de o contactar, por isso fiquei aqui à espera dele pois sabia o desgosto que ia ter."
   -"Quantas pessoas têm chave desta porta?" - perguntou Garrett. Leonardo: -"Além da minha, da da Elsa e desta que estava ali pendurada, como por vezes eu sou distraído, distribuí outras duas pelos vizinhos do prédio. A Dona Rosa que mora no andar de cima e o Sr. Lopes do segundo andar. É gente que está quase sempre em casa porque já são velhotes."
   Chamados à presença de Garrett mostraram as suas chaves e declararam, o Lopes ter saído pelas dez e ter estado sempre à pesca na doca do Poço do Bispo, e a Dona Rosa ter ido, como era costume ao domingo, à missa das onze à igreja da Penha de França, onde encontrou uma prima que morava ali perto. Regressara havia pouco, acompanhada da prima em casa de quem estivera. Vinham ambas encharcadas da chuva que não parara todo o dia. O Lopes voltara pelas três horas, e a Elsa confirmou tê-los visto chegar. Ele vinha na sua "arrastadeira" e até ia escorregando ao dar uma corrida até à porta para não se molhar. E a rapariga, aproveitando uma oportunidade, chamou de parte o Inspector e segredou-lhe: "Eu não sei se lhe deva dizer isto, mas a verdade é que a Dona Rosa gostava muito da gata e mais do que uma vez me disse que achava muito mal que a bicha passasse aqui tanto tempo só. Talvez isto não queira dizer nada, mas o senhor lá sabe..."
   A Dona Rosa por sua vez não teve qualquer dúvida em dizer-lhe, também à parte: -"Este senhor que mora cá em cima não é nada boa rês. Não podia ver a gata nem pintada porque já mais de uma vez o arranhou. Não me espantava que a vontade dele fosse atirá-la ao rio."
   -"Leonardo, quem é que pode ter roubado a chave suplente?" -"Sei lá, a casa tem poucos clientes, mas ontem até passaram por cá pessoas. Eu da Elsa desconfio sempre, mas para que é que ela queria outra chave?"
   Garrett já tinha uma forte desconfiança. Qual seria?

   A - A Elsa deve ter mentido.
   B - O Sr. Lopes deve ter mentido.
   C - A Dona Rosa deve ter mentido.
   D - Não havendo quaisquer provas concretas, é admissível que o roubo da 5.a chave possa ter sido obra de um cliente desconhecido, para mais tarde poder entrar e roubar a Gioconda.

E pronto.
Resta aos “detectives” escolherem a alínea que resolve este problema e fazerem chegar a opção, impreterivelmente até ao próximo dia 20 de Agosto, usando um dos seguintes meios:

- Pelos Correios para Luís Pessoa, Estrada Militar, 23, 2125-109 MARINHAIS;
- Por e-mail para um dos endereços:
- Por entrega em mão ao orientador da secção, onde quer que o encontrem.

Boas férias, para quem as tiver e boas deduções!


          


quinta-feira, 10 de Julho de 2014

AS MELHORES E AS MAIS ORIGINAIS - PROVA N.º 4

CAMPEONATO NACIONAL - 2014

PROVA N.º 4


AS MELHORES - DIC ROLAND

1.º DETECTIVE JEREMIAS - 5 PONTOS
2.º DANIEL FALCÃO - 4 PONTOS
3.º INSPECTOR ARANHA - 3 PONTOS
4.º MISTER H - 2 PONTOS
5.º AGENTE GUIMA - 1 PONTO

AS MAIS ORIGINAIS - MEDVET

1.º INSPECTOR GIGAS - 5 PONTOS (MUITO BOA!)
2.º INSPECTOR ARANHA - 4 PONTOS
3.º NÃO ATRIBUIDO
4.º NÃO ATRIBUIDO
5.º NÃO ATRIBUÍDO

AS MELHORES E MAIS ORIGINAIS...

CAMPEONATO NACIONAL E TAÇA DE PORTUGAL - 2014

AINDA HOJE, TEREMOS AQUI A DIVULGAÇÃO DOS AUTORES DAS MELHORES SOLUÇÕES E DAS MAIS ORIGINAIS DA PROVA N.º 4.

ATÉ LÁ...